Jornada Acadêmica da Fonoaudiologia oferece conhecimento e desenvolvimento profissional Evento enfatiza aspectos práticos da atuação fonoaudiológica e integração entre graduandos e professores

Compartilhar :

Integrantes das Comissões Discente e Docente, responsáveis pela realização da Jornada, e graduandos que auxiliaram durante o evento.
Clique na imagem para acessar o álbum de fotos da Jornada

Uma atividade desenvolvida pelos alunos e para os alunos.  Assim é a Jornada Acadêmica do Curso de Graduação em Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCM/Santa Casa), cuja 16ª edição aconteceu entre 3 e 5 de setembro, juntamente com o 5° Encontro do Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana da FCM/Santa Casa.

Com o recorde de 150 inscritos, o evento foi considerado um sucesso por professores e estudantes. Durante os três dias, graduandos do Curso de Fonoaudiologia, mestrandos da Faculdade e estudantes de outras instituições tiveram a oportunidade de acompanhar palestras, mesas redondas e oficinas sob o tema “Atualização em Práticas Fonoaudiológicas”.  A Jornada contou também com atividades científicas (sessão de pôsteres e relatos de casos) e culturais (apresentação do Coral Canta Santa).

Segundo a Profa. Dra. Ana Luiza Gomes Pinto Navas, diretora do Curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCM/Santa Casa, o evento é essencial para o compartilhamento de experiências e criação de vínculos entre os participantes. “Este é um raro momento de confraternização entre todas as turmas de graduandos, do 1º ao 4º ano. Há também uma integração entre os estudantes e seus professores da FCM/Santa Casa, que são referência na área. Além disso, a Jornada proporciona o contato com pesquisadores de outras renomadas instituições e fornece um panorama do que há de mais moderno em fonoaudiologia”, explica a professora.

Fonoaudiologia na prática

O conteúdo da Jornada focou os aspectos práticos do atendimento fonoaudiológico, destacando as intervenções necessárias para a reabilitação do paciente e maior funcionalidade em suas atividades diárias. “Enfatizamos a atuação terapêutica conforme o modelo de clínica fonoaudiológica ampliada, que considera o trabalho do profissional em diferentes contextos e de forma multidisciplinar, de acordo com os princípios de universalização, equidade e integralidade do SUS”, salienta a Profa. Dra. Cristiane Stravino Messas, docente do Curso de Graduação em Fonoaudiologia, da Especialização em Psicopatologia Fenomenológica da FCM/Santa Casa e integrante da Comissão Docente da Jornada.

Entre os contextos de atuação fonoaudiológica debatidos no evento, estão as redes públicas de reabilitação da pessoa com deficiência; as situações de vulnerabilidade social; o trabalho com a voz de pessoas transexuais; casos de surdez oculta; o desenvolvimento de habilidades cognitivas e emocionais na escola; o atendimento educacional especializado e a adaptação escolar. Também foram apresentados recursos de tecnologia assistiva para diferentes necessidades auditivas e discutidas as questões clínicas e éticas da telessaúde.

Valorização do aluno

Os temas foram sugeridos pelos próprios estudantes, atores principais na concepção e realização da Jornada.  A cada ano, é formada uma Comissão Discente com o objetivo de planejar todas as etapas, desde a criação do programa até a recepção dos participantes, sob a orientação da Comissão Docente.  Em 2018, a comissão de graduandos teve cinco integrantes, todos voluntários. Durante os três dias da Jornada, eles contaram com o apoio de um grupo maior de alunos.

“Os estudantes da comissão participam de todo o processo. Convidam os palestrantes, escolhem a grade de temas do evento, buscam o patrocínio e divulgam a Jornada. Também são encarregados de motivar e engajar os colegas. Com isso, desenvolvem importantes atividades extracurriculares e adquirem ampla experiência”, ressalta a Profa. Dra. Margarita Bernal Wieselberg, do Curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCM/Santa Casa, que presidiu a Comissão Docente da Jornada.

Experiências compartilhadas

O destaque da 16ª Jornada de Fonoaudiologia foi a atividade “Vivências e Práticas no 4º ano”, concebida pelos estudantes. Trata-se do relato de casos clínicos atendidos durante o estágio em hospital ou Unidade Básica de Saúde.  “Ao contarem sua experiência, descrevendo suas condutas em relação aos pacientes, eles incentivam e envolvem os colegas dos anos anteriores”, observa a Fga. Sonia Maria Simões Iervolino, supervisora do Setor de Audiologia Educacional da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e integrante da Comissão Docente da Jornada.

Para os graduandos, a apresentação e discussão dos casos permitem a visão do trabalho do fonoaudiólogo sob uma perspectiva diferente daquela estudada na teoria.  “Os alunos dos outros anos podem vislumbrar a aplicação prática do conhecimento que estão adquirindo nas aulas”, afirma Nathalia Ribeiro de Brito, graduanda do 4º ano, que apresentou um caso clínico sobre Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI). “Temos uma percepção mais ampla do paciente, que vai além do problema fonoaudiológico. Entendemos sua capacidade funcional e acompanhamos a sua evolução com a terapia”, completa Letícia Alves Praxedes, graduanda do 2º ano e integrante da Comissão Discente da Jornada.

70 visualizações

Compartilhar :